OBRAS | MEMÓRIAS DE TRACAJÁ

Artist / Artista | Moara​ Tupi Tapajowarr

Sobre o projecto | About the project

Série Memórias de Tracajá
Série Memórias de Tracajánco2
Série Memórias de Tracajá
Série Memórias de Tracajá

Sobre a Artista: 

Moara Tupi Tapajowara nasceu em Mairi Tupinambá (Belém do Pará), artista visual e comunicóloga formada pela Universidade Federal do Pará. Atualmente pesquisa sobre a sua genealogia e ancestralidade indígena com o projeto Museu da Silva, da comunidade tapajowara Cucurunã. Também desenvolve projetos de curadoria independente, ativista e colaborativa com indígenas em diferentes contextos no espaço Colabirinto, em São Paulo. Desde 2015 vem trabalhando com Arte &  Ancestralidade, e como se conectar com os nossos ancestrais por meio da criação artística. em 2019 decidiu se aprofundar melhor na origem da sua família paterna, da comunidade onde o seu pai nasceu. Iniciou um processo criativo de imersão em uma pesquisa totalmente independente sobre seus parentes que se originam da comunidade tapajowara Cucurunã (Baixo amazonas/Tapajós) que a fez criar um “Museu” itinerante e digital, o @museudasilva, que, além de tratar da pesquisa sobre sua genealogia familiar, procura revelar as consequências contemporâneas dos processos violentos da colonização . Atualmente está participando da Bienal de Sidney de Nirin (curador Brook Andrew). Em 2019 participou no Seminário de Histórias Indígenas do MASP, uma das convidadas para falar sobre o “Museu da Silva”, ao lado do curador Brook Andrew ; idealizou o “Agosto indígena” (2019/São Paulo - @colabirinto), foi convidada a participar do evento Teko Porã, na Expo coletiva “Re-antropofagia” com curadoria de Denilson Baniwa e Pedro Gradella (2019/Niterói- Centro de Artes da UFF). Já foi indicada ao Prêmio de Arte e Educação da Revista Select, em 2018, pelo projeto II Bienal do Ouvidor 63, ocorrido na maior ocupação artística de São Paulo. Moara Brasil é agora Moara Tupi Tapajowara. 

CADA OBRA DE ARTE QUE FOR ADQUIRIDA ESTARÁ-SE A APOIAR UMA COMUNIDADE INDÍGENA NO BRASIL

 

CITA - Conselho Indígena Tapajós Arapiuns

 

Nós somos, 13 povos, 70 aldeias e 19 territórios indígenas.  Borari, Munduruku, Tupinambá, Tapuia, Arapium, Cumaruara, Tapajó, Maytapu, Arara Vermelha, Apiaka, Cara Preta, Tupayu Jarak.   

 

A razão de apoiarmos esta comunidade: 

Esses povos fazem parte da nação tapajowara, de onde se originou a família  da artista que tem origem Tupinambá e tapajowara, de Cucurunã. Localiza-se no Rio Tapajós, em Santarém, no Baixo Amazona

 

Qual a relação que a artista tem com a comunidade: 

Eu somo na luta com os povos indígenas em respeito aos meus ancestrais, os meus parentes são de lá, só eu que nasci na cidade. Quero dar continuidade a nossa história de pertencimento, de identidade, para que não tenhamos as nossas histórias apagadas pelo patriarcado colonizador.

 

Em que aspectos se irá ajudar a comunidade: 

Alimentação, materiais de limpeza, e também vai ajudar muitos artesãos que tiveram que parar de trabalhar e vender os seus artesanatos.

Power is domination, control, and therefore a very selective form of truth which is a lie.

— Wole Soyinka

Accessibility       

Copyrights & Privacy Policy 

 

  • Black Instagram Icon
  • Facebook Basic Black

2016 –20 © All rights reserved © the CERA PROJECT

logotype designed by PauloArraiano