VENTO SUL

EXHIBITIONS

about the programme

MESCLADO

 

Artist / Artista

Felipe Arturo

Luís Lázaro Matos

Curated / Curadoria

Jorge André Catarino
Datas / Dates

08 Mar

– 28 Maio 2020

Opening / Inauguração 

8 Mar 2020

17h – 20h / 5 – 8pm

Concert / Concerto
20 Mar
Conversa / Conversation
20 Mar
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 
 
Press Release
Folha de Sala
info.ventosul@gmail.com
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 
 
Programa /Program 
VENTO SUL
Local / Venue
Espaço Espelho D'Agua
Lisbon, Portugal

PT | A exposição ‘MESCLADO’ parte do diálogo entre os trabalhos de Felipe Arturo (Bogotá, 1979) e Luís Lázaro Matos (Évora, 1987) na visão curatorial de Jorge André Catarino. Em primeira instância, esta ligação assenta na forma como cada artista trata - de modo altamente idiossincrático – a ideia de migração e metamorfose das formas arquitectónicas (em especial as de pendor modernista, na sua busca pela pureza formal). Tomando este aspecto como ponto de partida, 'MESCLADO' explora possibilidades de reescrita e reelaboração histórica, promovendo a sua contaminação, criando ficções e linhas narrativas paralelas ou alternativas àquelas encerradas pela historiografia oficial.

 

Esta atitude de permanente mestiçagem do oficial com o vernacular, presente nas práticas de Felipe Arturo e Luís Lázaro Matos, espelha, de certo modo, o comportamento das narrativas de tradição oral: histórias cujos caracteres se vão diluindo à medida que aquelas atravessam fronteiras e se disseminam geograficamente, adaptando-se e adquirindo novas formas e significados, ao mesmo tempo que mantêm uma raiz comum, arquetípica.

___

MESCLADO é uma exposição no âmbito da programação “vento sul” com direção de Inês Valle com o apoio do Espaço Espaço Espelho d’Água, Galeria Madragoa e da DGArtes.

Photo credit: cortesia do artista

EN | 

EN | The exhibition MESCLADOdeparts from the dialogue between the works of Felipe Arturo (Bogotá, 1979) and Luís Lázaro Matos (Évora, 1987), under the curatorial vision of  Jorge André Catarino. 

In the first instance, this connection is based on the way each artist handles - in a highly idiosyncratic manner - the ideas of ​​migration and metamorphosis of architectural forms (especially those with a modernist trend, in a search for formal purity). Taking this characteristic as a starting point, MESCLADOexplores the possibilities for historical rewriting and re-elaboration, promoting its contamination, creating fictions and parallel narrative lines or alternative interpretations closed by the official world of historiography. 

 

This attitude of permanent mixing between official and vernacular, existent in the creative practices of Felipe Arturo and Luís Lázaro Matos, pounder, in a certain way, on the existent behaviour in narratives of oral tradition: stories with diluted characters are as they continuously cross borders and become geographically dispersed, and adapting/ acquiring new forms and meanings, while maintaining a archetypal root.

 

___

MESCLADO is an exhibition under the program  “vento sul” under the direction of the curator Inês Valle with the support of Espaço Espelho D'Agua, Madragoa Gallery and DGArtes

FILIPE ARTURO 

(ARTISTA)

Felipe Arturo é arquitecto e artista nascido em Bogotá, Colômbia, em 1979. Estudou arquitectura na Universidad de Los Andes em Bogotá, frequentou o mestrado em artes visuais na Universidade de Columbia em Nova Iorque, e é actualmente doctorando em Artes Visuais na Universade de Évora.

Vive a maioria do tempo em Bogotá, tendo ainda trabalhado em períodos curtos ou mais extensos em Nova Iorque, Cidade do México, Lyon, Madrid e Lisboa.

Desenvolveu projectos artísticos e museográficos em diferentes países e participou em eventos artísticos como o Salón Nacional de Artistas de Colombia (2013), o Prémio Luis Caballero (2016-17), a Bienal de Arte Contemporáneo de Cartagena (2014), ou a Bienal de Lyon (2019). Desenvolveu ainda projectos para o Jardim Botânico de Bogotá (2005), Fragmentos – Espacio de Arte y Memoria (2019), Plaza de Bolívar (2016), para o Museo de Arte del Banco de la República, em Bogotá (2011), Museo Amparo, em Puebla (2010), Museo de La Tertulia (2017) e Lugar a Dudas (2013), em Cali, Colômbia. Participou em exposições na Casa América de Madrid (2010), Bronx Musem (2014) e Sculpture Center (2007) de Nova Iorque, Museu de Arte Contemporânea de Marraquexe (2020) e Museu de Arte Contemporâneo de Detroit (2015). Publicou com autor e editor os livros La Cooperativa, 14º Salão Internacional de Artistas (2012), Mark Dion Libro Árbol (2012), Poemas y Cuentos de la Selva Peruana, de Enrique Bohórquez de Ligüori (2017) e El Río Persigue la Gravedad (2018).

O seu trabalho está representado nas Colecções do Banco da República da Colômbia, Kadist (São Francisco), Colecção Patricia Phelps de Cisneros, Colecção Jumex, Colecção Museo Amparo, Bronx Musem e Museu de Arte Contemporânea de Lyon, entre outros. Desde 2009 que é professor associado da Escola de Arte da Universidade Jorge Tadeo Lozano, tendo desenvolvido processos pedagógicos e artísticos em relação com a escultura, instalação, arte no espaço público e a relação entre arte e natureza; de igual modo, desenvolveu uma aproximação interdisciplinar da prática artística como modelo pedagógico

LUIS LÁZARO MATOS 

(ARTISTA)

Nasceu em Évora em 1987, e estudou Pintura na     Faculdade de Belas Artes de Lisboa e Art Practice na Goldsmiths College de Londres. Foi bolseiro Fulbright – Fundação Carmona e Costa nos EUA (2016-2018), e Mécenes du Sud (2016), tendo ainda realizado a residência artística AIR Antwerpen (2016), tendo sido ainda finalista do Prémio EDP Novos Artistas 2013.

 

Das suas exposições individuais destaca-se: White Shark Café, Bastide Projects, França; Tomber dans le lac, Galeria Madradgoa, Lisboa (2018); Smile You Are in Spain Part I, Madragoa, Lisboa (2017); Super Gibraltar, Kunsthalle Lissabon, Lisboa (2016). Entre as suas exposições colectivas destacam-se: Haus Wittgenstein: Art Architecture & Philosophy, MAAT, Lisboa; Personal Cliches, Ncontemporary, Milão, Itália (2018), Tão Alto Quanto os Olhos Alcançam, Fórum Eugénio de Almeida, Évora (2015); Prémio EDP Novos Artistas, Fundação EDP, Porto; One! Two! Three! Position!, Hinterconti, Hamburgo, e Houses on Punta Massullo (Houses for Exile), Neoterismoi Tomazou, Nicósia, Chipre, (2013); 

JORGE ANDRÉ CATARINO

(CURADOR CONVIDADO)

Nasceu em Lisboa (1985), onde vive e trabalha. Licenciado e Mestre em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, comissariou as exposições Linha, Forma e Cor, Museu Colecção Berardo (2018), Mano-a- Mano, Galeria das Águas Livres 8, e Nó, Galeria Cisterna (2019), tendo ainda sido Director de Produção da Baginski, Galeria/ Projectos (2011-16), e colaborado com o Gabinete, Edições (2016-17). Colabora com diversas instituições e espaços culturais no âmbito de Serviço Educativo, incluindo MAAT, Museu Colecção Berardo, Museu da Carris, Casa das Histórias Paula Rego e Centro de Arte Manuel de Brito. Além do trabalho de curadoria e mediação cultural, publicou ainda diversos artigos de investigação em arte e colabora frequentemente com artistas através de curadorias, elaboração de folhas de sala e textos de exposição.

ABOUT
THE ARTISTS
& CURATOR

Exhibitions & Events Archive                                                                                                                                                                         VIEW FULL 

ARCHIVE

1/2

Power is domination, control, and therefore a very selective form of truth which is a lie.

— Wole Soyinka

Accessibility       

Copyrights & Privacy Policy 

 

  • Black Instagram Icon
  • Facebook Basic Black

2016 –20 © All rights reserved © the CERA PROJECT

logotype designed by PauloArraiano